Município de Valente contesta dados fornecidos pela Sesab/Divep

Spread the love
Segundo a Prefeitura Municipal de Valente, o trabalho de combate ao mosquita tem se intensificado no município.

Na edição do BATV da Rede Bahia do último dia 17 de outubro foi noticiado que o município de Valente está entre os 81 municípios com Índice de Infestação Predial do Aedes Aegypti de 12,5%. Dado este, que está desatualizado.  Este índice divulgado pelo Sesab corresponde ao levantamento do LIRAa realizado entre os dias 24 de julho a 26 de julho deste ano.

Os dados atualizados através do Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), realizado entre os 01 de outubro a 06 de outubro deste ano, em Valente, foi de 7,19%, conforme envio para a Base Regional de Saúde de Serrinha, em 10 de outubro de 2018.

CURTA PÁGINA TRIBUNA DO SISAL NO FACEBOOK, VOCÊ SEMPRE BEM INFORMADO – CLIQUE AQUI!

A Secretaria Municipal de Saúde de Valente informa ainda, que estão sendo cada vez mais intensificadas ações de conscientização e combate ao mosquito. Os agentes comunitários de saúde e os agentes de combate às endemias orientam, em visitas domiciliares à população, para os cuidados de prevenção e controle do Aedes aegypti.

Inclusive o município de Valente não tem nenhum registro de casos suspeitos de dengue, chikungunya e zika vírus em 2018.

A coordenadora de vigilância epidemiológica do município, Eloísa Helena Novaes de Souza, explica que não houve nenhum caso notificado. “Até o momento não houve registro de casos suspeitos, mas os profissionais de saúde estão em alerta para a ocorrência de casos e a comunicação imediata ao setor responsável para que as medidas cabíveis sejam adotadas para o efetivo controle dos casos”, informa.

O coordenador de Endemias, Ivaney Rodrigues Araújo, reforça que todo o trabalho de prevenção, controle e conscientização está sendo feito no município. “Os índices estão altos em função das larvas encontradas nos interiores dos domicílios, por isso chamamos a atenção da população para os cuidados, evitando a proliferação do Aedes. Os agentes de combate às endemias vêm orientando em suas visitas os moradores a não deixarem recipientes que acumulam água expostos ao tempo. A gestão pública sozinha não pode combater a doença, é preciso que a população esteja consciente e adote as medidas necessárias para o combate ao mosquito”, conclui o coordenador.

ASCOM PMV

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of